Estou partindo

Minha mãe me disse uma vez que eu quase não nasci, que meu parto foi uma milagre. Cheguei atrasado, e nós dois quase morremos. Talvez aquela ânsia pela liberdade que quase nos custou a vida tenha me acompanhado até os dias de hoje. Sempre tive sede pela partida, pelo novo, pelo desconhcido. Às vezes o lugar mais distante que o homem pode alcançar é dentro de si mesmo.

Vou me embora!
Pasárgada está soterrada
vou pegar então um navio
e ser deportado para uma Ilha
cujo horizonte esconde a saudade

Vou-me embora,
lá não há pomares suculentos
nem servidores de vinho para meus caprichos
há somente o silêncio que preenche as montanhas
e os murmúrios da maresia

Vou-me embora
Lá não tem prostitutas sob o riso da lua
nem tão pouco sereias se banhando nas pedras
pois o prazer na Ilha não é efêmero
sendo a solidão um banquete aos que atravessaram
as quaresmas do mundo

Ah! Estou chegando
não à Ilha, mas ao dia de partir
há quem eu gostaria de levar comigo
para à tarde banharmos os pés no mar
e despedir do sol após sua jornada nos trilhos do céu

Mas não levarei ninguém,
pois na Ilha cabe uma só pessoa
caberia a metade de duas
Mas vou-me embora
porque cansei de ser metade aqui do lado de fora.

2013

Art by @mehrzad1

Poemas em português Poemas sobre o desejo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: