Contagem agressiva dos sentimentos

Aeroporto de Guarulhos, 05 de fevereiro de 2018 – Acabei de abraçar minha família, passei pela imigração. Lá estava eu todo desconfortável tentando caber naquele banco próximo ao portão de embarque, mãos suando e tremendo segurando meu passaporte e minhas passagens, um filme passando na minha cabeça. Não sabia ao certo o que estava sentindo. Peguei meu telefone e escrevi este poema, fazendo uma pequena retrospectiva da jornada que havia começado muitos meses antes. E também sobre um amor inconsequente que tive mesmo sabendo que estaria partindo.

60 dias

Meus sonhos não cabem mais no travesseiro
Lâmpada nos pés, lupa nos olhos, esponja no coração
Uma hipérbole sinestésica de emoções.
Me vi louco, apaixonado, completamente embriagado
Somente para deixar um pouco de beleza
E saudade
Por onde os pés tocaram.

59 dias

Um pouco
Ou completamente frustrado
Porque o dinheiro não dava
Por sentir o dobro dos demais
Por não conseguir dormir “brigados”
Implorando aos fracos
Migalhas de atenção

58 dias

A decepção nossa de cada dia nos dai hoje
Rogo ao deus das Redes Sociais
E ao mais etéreo clichê
Pela esperança cega
Nos que nada podem oferecer

57 dias

Mas há um novo mundo
Onde viverei com os pés acima de suas mentes
Imerso na horda,
no pôr-do-sol da meia noite
E nas emoções mais cálidas
De tudo o que pode me tirar o fôlego

56 dias

Esta noite lhe prometo,
Não irei chorar
Porque sou poeta
E minha dor está nessas linhas
O brilho dos meus olhos
É nutrido pelos meus sonhos
E tenho passagens compradas
Para o meu fim do mundo
Longe de todo o “era uma vez”
Longe de você…

Poemas em português Poemas sobre o desejo

%d bloggers like this: