Saturno

Nem sempre nós amamos o outro, mas a IDEIA criada a partir do outro. Este poema descreve a dor de enxergar através das expectativas e da projeção.

Os deuses não seriam tão grandes
senão estivessem tão longe
Não seriam tão importantes
As coisas ínfimas quando são
combinadas com saudade

Os deuses tornariam-se
meras fantasias equivocadas
Se vivêssemos próximos demais
Para conhecê-los de verdade
E nos decepcionar.

Nossos sentimentos são elásticos
Os deuses e nossos heróis
Têm sua força só em nosso olhar
“Bendito seja seu nome”
– Só até que minha voz te alcance

Miragens são mais realistas
E a névoa, mais densa, quando longes
Milhas te fazem tão belo e brilhante
Mas purifica-me os olhos
Estar na órbita deste errante

Mesmo de astronauta seria esmagado
Pela sua atmosfera e egoísmo
Veja, nem parecem anéis, são apenas rochas
Deus e errante Saturno, sinto dizer
Você só é lindo no meu telescópio.

Poemas em português Poemas meio tristes

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: